quarta-feira, 27 de março de 2013

Minha cara metade



Peguei minha cara metade
Dessa metade criei degraus e estendi até o céu
No céu entre as nuvens estendi minhas pontes
Essas pontes transformei em horizontes, em fontes
Cruzei os céus, uní as nuvens e os mares e joguei o chapéu
Que voou entre albatrozes, anjos   e cometas
Lancei então essa metade a esquerda e direita
Voando junto a anjos e a Joao de barros
Construí a casa de barro e galhos
Usei tijolo, palha e bolhas de sabão
 E' onde passei a morar com seu coração
E' onde passei a morar com a metade
De minha cara metade
Que nunca teve tempo, nunca teve idade
Pintamos o céu segurando o mesmo pincel
Sopramos os ventos sobre o mundo
E mandamos ritmos para as  ondas
E antes que te escondas
És minha metade e estas pronta
Para abrir todas as portas que liberam as ondas
Que liberam todos os fluidos que seguem sem ruído
De minha cara metade explodem luzes
Que sobem e descem do céu fazendo outras pontes
Luzes coloridas que iluminam sua fronte
Luzes desmedidas que iluminam o céu
E trazem de volta todos os meus risos e meu chapéu
Que volta a minha cabeça e agradecem aos céus
A outra metade que completam tudo o que e’ seu.
Pintamos o mundo com as cores do mundo
E minha metade junta-se a sua metade
E nos unimos na dança de todas as danças de fundo.

9 comentários:

Unknown disse...

Lindo e profundo como seu coração, moço!

Altair Almeida disse...

Obrigadooooo, seguindo e buscando nossa cara metade. Um abraço.

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...

Tá bonito, Alta. Desejo-lhe sorte na busca pela sua metade.

Eliane

Denise Sartori disse...

Lindo!! Etéreo!!

ALTAIR ALMEIDA disse...

Um beijo De, obrigado.

Santosha Harih Om disse...

Clarice Lispector disse que "Não busque alguém para te completar.Complete-se e busque alguém para te transbordar".... Mas lendo este soneto(é um soneto, Alta)? e sentindo que ficamos plenos na presença de certas pessoas(raros seres0, é que finalmente compreendemos o mistério da vida: AMAR. Amar e sentir a vida de forma poética, para quem não veio com esse dom, é completar-se, transmutar-se de metade, á inteireza.

Alta Almeida disse...

Obrigado pelo comentario Santosha, um grande abraço.

mabel eliana disse...

El sueño desde la adolescencia, buscar la otra mitad, la media naranja, que vive en su castillo, que es nuestro sueño seguro, nuestro lugar donde el daño nunca llegará. En fin, todos somos una naranja, me conformo con estar dentro de la misma bolsa de naranjas, quizás encuentre otro naranja, que esté maduro, y tenga mis mismos sabor dulce, o acido, que podamos dar lo mejor de nosotros a los demás. Dos naranjas hermosas,de un mismo árbol verde, que sea sombra para juegos de niños..., que hermoso sería encontrar ese amor naranja, en en esa juventud naranja.